Currículo, Docência e seus Antagonismos no Espaço Iberoamericano

Rosanne Evangelista Dias

Resumen


O ano de 2021 foi projetado, no âmbito da região Iberoamericana, como marco para o desenvolvimento de políticas que deem conta de buscar a superação do quadro de desigualdades no campo educacional. Ao longo dos anos de 2000 diversas publicações vêm apontar na direção de políticas que envolvem a docência e o currículo como de fundamental importância para a melhoria da qualidade da educação em diferentes níveis e modalidades. Essas produções vêm sendo disseminadas por organismos internacionais como a UNESCO e a OEI, envolvendo ministros de educação de Estados-Nação como também importantes lideranças da comunidade educacional na região. Um dos focos destacados das metas que estão sendo planejadas está na formação e na atuação docente, envolvendo de modo central o currículo e suas relações com a avaliação. Desenvolvemos neste artigo, apoiada na Teoria do Discurso de Ernesto Laclau, a análise dos antagonismos que envolvem as políticas de currículo e docência no espaço Iberoamericano. Destacamos a presença da ambivalência nos discursos disseminados sobre a docência e currículo.


Palabras clave


Política de currículo; Docência; Antagonismo; Iberoamérica

Texto completo:

PDF (Português (Brasil))

Enlaces de Referencia

  • Por el momento, no existen enlaces de referencia


Grupo de Interés Especial en Investigación Cualitativa en Español y Portugués                                                                                         International Association of Qualitative Inquiry

ISSN 2473-4985